Decoração de Interiores


Descrição da acção

Quando pensamos em decoração de interiores, temos ideia de uma função excitante, criativa e inovadora.
Vivemos um momento de ascensão, onde os profissionais estão capacitados a maximizar o uso de espaço, introduzindo materiais e acabamentos inovadores e, desta forma, incorporar a tecnologia fundamental para a vida actual.
Com efeito, esta formação poderá levar a transformar a casa em parte integrante da vida de cada um, reflectindo a personalidade e gostos de quem lá vive, numa simbiose total.
São transmitidos ensinamentos teóricos e essencialmente práticos, do vasto mundo da decoração de interiores, tendo em vista tanto o enriquecimento ao nível pessoal, como também profissional, na medida em que a decoração de interiores trata, principalmente, de comunicação inter-pessoal (comunicação com cliente).


Objectivos gerais

No final do curso, os formandos deverão ser capazes de:

    • Compreender conceitos fundamentais de decoração de interiores tanto do ponto de vista da valorização pessoal como profissional;
    • Interpretar diferentes tipos de plantas de arquitectura de interiores e decoração;
    • Conhecer todas as fases de elaboração de um projecto de decoração;
    • Conhecer distintas técnicas de decoração de interiores;
    • Personalizar espaços com base no estudo do perfil do cliente e nos diferentes conceitos de decoração;
    • Elaborar um projecto de decoração de interiores completo.

Objectivos específicos

No final da acção, os formandos deverão ser capazes de:

    • Interpretar, por escrito, uma planta de Arquitectura, recorrendo a diferentes tipos de exemplificações práticas, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Desenhar um levantamento de espaço, com base nos diferentes métodos de aplicação de medições em campo, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Descrever, por escrito, a aplicação correcta da luz e a cor na decoração, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Compor espaços, com base em exercícios práticos propostos, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Executar a aplicação dos diferentes conceitos de decoração, com base na aprendizagem dos diferentes estilos históricos e actuais, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Elaborar um painel de amostra, desenhando e recolhendo amostras de revistas, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Traçar o perfil de um cliente, por escrito, recorrendo a regras e métodos, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Descrever, por escrito, o conceito de Feng Shui, enumerando no mínimo duas aplicações na decoração de interiores da sociedade portuguesa, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%;
    • Elaborar um projecto de interiores, com recurso à aplicação das técnicas e conhecimentos adquiridos durante as sessões de formação, sem consultar o manual e com uma taxa de sucesso igual ou superior a 50%.

Perfil do formador

Tiago Amorim

    • Arquitecto
    • Licenciatura em Arquitectura (opção Recuperação Arquitectónica e Urbana) – Universidade Lusíada
    • Freelancer na área da elaboração de projectos de arquitectura e remodelações
    • Experiência enquanto docente da disciplina de Expressões Plásticas
    • Experiência enquanto formador do curso de Decoração de Interiores
    • Formador certificado pelo IEFP

Carga horária

36 horas (18 horas cada módulo)

    • Módulo 1 – Arquitectura de Interiores / Decoração
    • Módulo 2 – Decoração de Interiores

Metodologia

Inicialmente será aplicado o método activo e expositivo, aquando uma apresentação e contextualização do tema de formação. O método activo será também aplicado em discussões abertas para uma melhor percepção de troca de ideias gerais do tema em questão. O método interrogativo será uma constante no âmbito da aplicação de conhecimentos.


Momentos e modalidades de avaliação
  • No início do curso, os formadores poderão efectuar uma avaliação diagnóstica como forma de verificar o nível de conhecimentos dos formandos face ao tema a desenvolver. Este instrumento de avaliação permitirá ainda aos formadores personalizar o programa da formação às especificidades do grupo.
  • Durante a acção, os formadores poderão recorrer a actividades de avaliação formativa como forma de regulação da aprendizagem.
  • No final do curso, os formandos realizarão uma avaliação sumativa através de elaboração de planta de arquitectura de interiores com disposição de mobiliário e iluminação, como também, painel final de decoração de interiores, com os seguintes critérios de avaliação: participação em sala, trabalhos práticos, trabalho final.
  • Terminada a acção, pedir-se-á ainda aos formandos que preencham um formulário de avaliação do processo de formação para efeitos de balanço da actividade formativa e do desempenho dos formadores.

Assiduidade dos formandos

A assiduidade deste curso é um requisito fundamental, na medida em que existem competências transversais que só podem ser adquiridas em contexto de formação presencial. Será condição obrigatória a frequência de 95% do total de horas do respectivo curso.
Da avaliação contínua e final pode resultar a necessidade do formando repetir ou reforçar um determinado tema, módulo ou momento de avaliação, onde se verifiquem situações como: falta do formando a um momento de avaliação; resultado obtido de nível insuficiente num determinado tema ou momento de avaliação, entre outros. Neste sentido poderá haver lugar a duas medidas de remediação: reforço das temáticas onde se verificou falta de aproveitamento; aplicação de um instrumento de avaliação equivalente. Esta decisão caberá à coordenação juntamente com a formadora do curso.


Certificação da formação

No final da formação será emitido um certificado de formação profissional, numa escala qualitativa, a todos os formandos que:

    • a) Tenham obtido uma avaliação positiva no exame final.
    • b) Tenham cumprido com os seus deveres de formando, respeitando rigorosamente os deveres de assiduidade e pontualidade.

A classificação da avaliação dos resultados da aprendizagem de cada formando é expressa através da atribuição de uma menção qualitativa e de uma classificação de acordo com a seguinte escala:

    • Muito Bom – de 18 a 20 valores;
    • Bom – de 15 a 17 valores;
    • Razoável – de 10 a 14 valores;
    • Fraco – de 7 a 9 valores;
    • Muito Fraco – de 1 a 6 valores.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s